As Crianças e Chico Xavier

29/05/2009

Chico acreditava que a solução da delinqüência estava dentro do lar, da família e que o ato de fazer um aborto é imoral.

Com as crianças Chico tinha um magnetismo incomum. Elas adoravam o mineiro, que sempre tinha os braços abertos para abraçá-las, com carinho e atenção.

Muito se fala sobre delinqüência juvenil, mas este problema não é de hoje. Chico Xavier psicografou livro com texto do espírito Emmanuel em “À Sombra do Abacateiro”, de Carlos A. Baccelli.

Depois da luta da criança considerada em penúria, apareceu para nós a luta da criança demasiadamente livre nos primeiros anos da existência…Há muitos desequilíbrios, embora sejam descendentes de lares muito abastados. Essas outras crianças crescem revoltadas pela ausência de carinho; às vezes, sofrem o abandono, mesmo dos avós que não se interessam pelos netos… De um lado, as crianças em penúria; de outro lado, as que estão mais ou menos atendidas, ou às vezes altamente atendidas em suas necessidades…Hoje ouvimos falar de muitos crimes efetuados por meninos de 10, 14 anos… Deveríamos tratar de códigos que dessem a maioridade aos 14 anos. A criança é chamada a memorizar as suas vidas passadas muito depressa, motivada pela televisão, etc. Precisávamos da criação de leis que ajudem a criança a não se fazer delinqüente nem viciada. O governo não pode ser responsável por todas as nossas modalidades de penúria; não podemos exigir que os ministros venham a fazer intervenções em nossas vidas familiares. O problema da penúria é nosso. (…) Não temos uma disposição muito ativa em torno da criança considerada desvalida; nós fazemos distribuições anuais, mas nos esquecemos que criança, tal qual nos acontece, almoça todo dia, estuda todo dia, toma banho todo dia… De um lado, a criança em penúria; de outro, a criança abandonada pelos pais…”, escreveu ele.

Chico contou certa vez que no Japão existia, há algum tempo, um surto muito grande de delinqüência. O próprio governo sentia-se incapaz de conter aquela expansão infeliz… Foi quando um grupo de senhoras sugeriu que, nas cidades, as famílias se reunissem, em grupos de cinco a dez famílias, para debaterem o problema. A idéia tomou vulto. Quase que o Japão inteiro começou a reunir-se, semanalmente, discutindo o que se poderia fazer pela criança, pelos reeducandos, para que a idéia do crime diminuísse. Em dois anos, o índice de delinqüência juvenil diminuiu em 80%.

Colaboração: www.diariodonordeste.com.br


Aikidô e o Projeto Alongando o Amor – GACC/RN

19/12/2008

A realidade de quem vivencia o tratamento oncológico de uma criança ou adolescente é bastante complexa. São pessoas – a grande maioria, mães – que deixam casa, família, trabalho, enfim, grande parte de sua vida, para acompanhar sua criança ou adolescente. É grande a dificuldade em conciliar suas atividades e o tratamento: não podem mais fazer seus serviços domésticos, dar atenção ao marido e participar na educação dos demais filhos.

 

Com o intuito de trazer um momento de relaxamento, diminuindo as tensões acumuladas e criar novas oportunidades de socialização, foi elaborado o projeto ALONGANDO O AMOR, trabalho idealizado pela Assistente Social e voluntária do GACC, Cecília Cortez, contribuindo assim para a melhoria dos aspectos psico-social e físico dos responsáveis pelas crianças cadastradas no GACC-RN.

 

Inicialmente, o projeto será realizado semanalmente, com calendário elaborado com intuito de atender o maior número possível de acompanhantes, visto que se trata de um grupo com presença aperiódica, já que dependem do tratamento de suas crianças e adolescentes.

 

Assim, ontem (18/12/2008 – 15:30h), foi dada a largada ao referido projeto com a primeira reunião na presença dos voluntários Vinicius Brasil e Guilherme Lemos (Responsáveis pela parte do Alongamento – Aikidô) e Cecília Cortez, idealizadora do projeto.

 

Neste primeiro encontro, de muitos que virão, os voluntários apresentaram às mães e acompanhantes alguns exercícios de alongamento baseados nos princípios e técnicas que ocorrem nos treinos de Aikidô.

 

Os alongamentos do Aikidô têm o objetivo de trabalhar o corpo através de suas técnicas, trabalhar a respiração, o alongamento e o relaxamento do corpo. Em contra-partida observa-se, além dos benefícios físicos, a socialização entre os voluntários e praticantes e destes entre si, incentivando a interação, o diálogo e apoio mútuo. Incentivar a prática do alongamento leva ao relaxamento no dia-a-dia e ajuda a contribuir para a liberação do stress e tensões físicas e mentais acumuladas devido a vivência dos indivíduos ligados, de qualquer forma, aos problemas oncológicos.

 

O resultado deste primeiro encontro foi bastante positivo e prazeroso, tanto para os voluntários e idealizadores do projeto, quanto para as mães e acompanhantes das crianças do GAAC-RN. A harmonia e a integração tão presentes nos treinos de Aikidô contaminaram os participantes e levou a todos uma felicidade extra em estar vivenciando o momento.

 

Quer fazer alguma doação ao GACC?

 

GACC – Grupo de Apoio à Criança com Câncer

Rua Jundiaí, 453 – TIROL – CEP: 59020-120 – Natal/RN

Fone: (84) 3221.5684 – Fax: (84) 3611.9544

 

Colaboração: GACC –  www.gaccrn.org.br


Projeto do Aikidô da Escola Municipal São Francisco de Assis – Natal/RN – Confraternização de Final de Ano

15/12/2008

No sábado, 13/12/2008, ocorreu na Escola Municipal São Francisco de Assis, Bairro de Nazaré, em Natal/RN, a confraternização do Projeto do Aikidô.

 

As crianças do Projeto, após o treino de Aikidô, receberam um lanche especial em comemoração às festas de final de ano. Foram servidos bolos, salgados, doces, refrigerantes, pipocas e algumas guloseimas; gentil doação dos voluntários e de três grandes amigos do projeto: ABN AMRO Bank/REAL, por intermédio do programa chamado Projeto Escola Brasil – PEB – http://www.institutoescolabrasil.org.br; DAB (Distribuidora de Alimentos e Bebidas Ltda.)www.dabrn.com.br – na pessoa da Sra. Deusa Cristina e a Diretora da EMSFA, Sra. Natividade.

 

A manhã foi de festividades, confraternização e de aprovação total pelas crianças e voluntários. Em breve será publicado link com as fotos do evento.

 

By IMPRESSÕES – www.impressione.wordpress.com


Resultado da VIII Mostra Cultural da Escola Municipal São Francisco de Assis – Natal/RN

20/10/2008

 

Sucesso. Esta é a palavra para dar nome ao resultado da VIII Mostra Cultural da Escola Municipal São Francisco de Assis ocorrida nos dias 17 e 18 de Outubro do corrente ano. Salas de Literatura, Poesia, Instalações Culturais e apresentações do tipo permearam este final de semana. A Mostra Cultural também foi palco para as comemorações ao Dia do Professor com um belo almoço.

 

Inúmeros visitantes compareceram à Mostra Cultural. Presenças ilustres como a da Secretária de Educação do Município de Natal, a Sra. Profa. Justina Iva, e dos Representantes do Banco ABN AMRO Bank/REAL, patrocinadores do Projeto do Aikidô, foram registradas.

 

Repercussão do Projeto do Aikidô na Mostra Cultural

 

O Projeto do Aikidô já faz parte do dia-a-dia da Escola Municipal São Francisco de Assis. No sábado dia 18/10/2008, 10h, todos já aguardavam ansiosos a apresentação de um treino com os 14 alunos convidados, e que no final das contas passaram para 20. O espaço foi concorrido, tanto dentro quanto fora do tatame. A Secretária de Educação assistiu parte do treino e aprovou a idéia das equipes do projeto e da escola em oferecer mais esta opção aos alunos e às crianças das redondezas.

 

Atualmente o Projeto do Aikidô assiste 30 (trinta) crianças, tem uma lista de espera de mais da metade destes participantes, e certamente, após este evento, será ampliada.

 

By IMPRESSÕES – www.impressione.wordpress.com


Aulas para crianças no Tensei Dojo – Aikidô na Serra Gaúcha – RS

17/10/2008

O texto que segue retrata um treino de Aikidô voltado para crianças. O Tensei Dojo fica no Rio Grande do Sul, mas a experiência que lá se observa se repete em qualquer canto do país em que algum faixa-preta se atreva a dar treino de Aikidô para crianças. A dificuldade é tamanha. Indisciplina inicial, inquietude, agressividade, dentre outras péssimas atitudes é lugar comum no início dos trabalhos, mas o resultado é de gratificação imensurável. Após poucos encontros a forma de se portar das crianças já muda, a atenção e a curiosidade se instalam e logo se observa a evolução pessoal de cada uma. No Rio Grande do Norte não é diferente, o Projeto Aikidô – já tratado neste blog e que funciona na Escola Municipal São Francisco de Assis, em Natal/RN – é testemunha desta mesma situação que foi apresentada no Rio Grande do Sul. No início a inquietude, com o passar do tempo a descoberta do novo e a evolução. Pois é… criança é criança e Aikidô é Aikidô.

 

Segue o texto:

 

A primeira coisa que se pede de uma criança que está chegando ao Dojô, é que ela tire os sapatos e os troque por chinelos. Entrando no tatame, ela é instruída a colocar os chinelos ao lado do tatame,  apontando para o lado de fora.

 

O hábito de tirar os sapatos ao chegar vem do Japão, e tem significados muito mais profundos do que a higiene simplesmente. Entre outros pontos, diferencia o exterior do interior, e não se traz para o interior as coisas negativas do exterior. Um ditado Zen diz que se você não consegue, ao menos, alinhar seus sapatos, será muito difícil encontrar a harmonia no mundo em torno de você.

 

Antes dos treinos, um tempo livre é deixado às crianças no tatame. E o que se vê são crianças brincando. Correm muito, se agarram, os menores provocando os maiores,  eventualmente jogam futebol, brincam de lutinhas, discutem, um ou outro fica emburrado, chorando num canto.

 

Às palavras “Vamos alinhar”, do instrutor, muitas coisas se seguem. Várias crianças estão completamente suadas, dogis abertos, calças caindo e faixas por amarrar. Um tempo é dedicado então, pelo instrutor a ajudar a alinhá-las. Quando isso está pronto, uma criança pede para tomar água. Outra pede para ir ao banheiro. Não se permite a saída durante o treino para ir ao banheiro ou tomar água, elas sabem que a hora é agora. Mais um tempo é concedido para essas necessidades.

 

Agora estão todos alinhados, prontos para o cumprimento ao Fundador, um dos menores está virado de costas, por alguma estranha razão ele insiste em cumprimentar para o outro lado. Dois dos maiores começam a discutir um assunto qualquer, que parece muito importante. O aluno mais antigo chama os outros, manda-os ficarem quietos. O instrutor chama todos: vamos cumprimentar, seiza!

Finalmente, o cumprimento é feito para o fundador e entre crianças e instrutor.

 

O instrutor começa o alongamento, as reclamações de dores começam, todos conseguem ir acompanhando, o instrutor vai constantemente chamando a atenção de um e outro. Treino de giros e deslocamentos, os mais experientes conseguem acompanhar, um garoto menor chora, diz que não consegue fazer. Um aluno mais antigo se coloca ao lado dele, e tenta ensiná-lo. O menino pára de chorar. Treinar rolamentos, o grande momento: é sempre um desafio conseguir rolar mais alto, sem se machucar. Os menores querem imitar os maiores, o instrutor os acalma, os maiores rolam com energia, sem medo, e pedem constantemente ao instrutor: Sensei, sensei, está certo assim?

 

O instrutor mostra um movimento de Aikidô e pede que todos chamem um parceiro para treinar. As duplas se formam, crianças habituadas a treinar umas com as outras chamam sempre os mesmos parceiros. Um garoto sobra, senta num canto, diz que não quer treinar. Um dos maiores percebe e vai chamá-lo, depois de alguma conversa, estão treinando juntos. Crianças que estão vindo pela primeira vez ficam tímidas, e os mais antigos vão chamá-las para treinar e tentam, com muito afinco, explicar os movimentos e ajudá-las. Eventualmente, elas se cansam e pedem para fazer outra coisa, porque isso está chato.

 

Um novo movimento é mostrado, e o instrutor pede que se troque de parceiros, treinar com alguém que nunca treina. Novas tentativas, outro garoto sobra. O instrutor o ajuda a encontrar uma dupla. Procurando interferir o mínimo possível no inter-relacionamento das crianças, o instrutor espera ser realmente necessária sua intervenção.

 

Eventualmente, o instrutor inicia treino com bastões (Jô). Todos gostam, fazem movimentos imitando lutas vistas em filmes. O instrutor pede que todos se afastem uns dos outros, para não se machucarem. Os movimentos mostrados são facilmente assimilados por algumas crianças, enquanto outras têm muita dificuldade, mas continuam tentando, estimulados pelo que os colegas estão fazendo. Aos poucos, o treino vai silenciando, todos muito concentrados descobrindo os movimentos com o bastão. Depois de algum tempo, um dos menores cansa, senta e diz que dói o braço.

 

O instrutor pede que todos guardem o bastão, e sugere um jogo. Entusiasmadas, as crianças se dividem em grupos, fazem as regras, e solicitam ao instrutor que seja o juiz.

 

Hora de terminar, o instrutor diz “Alinhar”, alguns reclamam, querem mais brincadeiras, sentam, conversam, um mais apressado sai correndo para pegar os chinelos. O instrutor chama a todos, pede silêncio, de novo o garoto menor se vira para o outro lado para cumprimentar, o instrutor o chama de volta. Finalmente, todos quietos e alinhados, cumprimentos ao Fundador e entre o instrutor e as crianças. Alguns correm para o banheiro, outros para tomar água, outro vê seu pai chegando para buscá-lo e reclama que é muito cedo, alguns querem brincar mais no tatame. Outro sai correndo, coloca os sapatos, e quando chega à porta, lembra de algo, volta correndo, abana e diz “tchau, Sensei.”

 

Esse é um retrato de um treino infantil de Aikidô no Tensei Dojô. Sutilmente, noções de cooperação são reforçadas, a boa convivência é estimulada, e crianças aprendem Aikidô brincando, sem perceber. Não havendo competição no Aikidô, as crianças se sentem livres para serem o que são e para ajudar umas às outras. Naturalmente solidárias, as crianças encontram um ambiente onde podem exercer essa qualidade livremente.

 

Artes marciais inteligentes deveriam fazer parte do currículo de toda escola. As noções de disciplina, respeito, concentração ajudariam muito a recuperar valores que estão se perdendo, cada vez mais rápido, na educação das crianças. Professores não conseguem manter a atenção dos alunos, está cada vez mais difícil ensinar, pois ninguém mais tem coragem de disciplinar, sob risco de perder o emprego de professor.

 

A capacidade de:

– agüentar frustrações;

– continuar treinando, um dia treino bom, noutro dia treino ruim;

– resolver os problemas com seu colega durante o treino, sem esperar pela ajuda do professor, dos pais;

– aprender a se controlar, física e emocionalmente;

– superar a sede, o calor, a vontade de ir ao banheiro;

– respirar, concentrar-se e executar os movimentos;

 

Estes são alguns pontos do aprendizado das artes marciais inteligentes. Alguém pode negar que isso ajudaria a formar profissionais melhores qualificados, pessoas mais felizes emocionalmente, capazes de interagir com o mundo de maneira positiva?

 

Colaboração: www.aikidoserragaucha.com.br 


Mostra Cultural da Escola Municipal São Francisco de Assis – Natal/RN

14/10/2008

Sexta (17/10) e Sábado (18/10), na Escola Municipal São Francisco de Assis, bairro de Nazaré, Natal/RN, ocorrerá a tão esperada Feira de Ciências e Cultura. Haverá apresentação de trabalhos dos alunos – individuais e em grupo – em diversas áreas das ciências e da cultura. Como não poderia ser diferente, os voluntários do Projeto do Aikidô também estarão prestigiando o evento.

 

Assim, sábado – 18/10/2008 – por volta das 10h da manhã, os Voluntários do Projeto Aikidô e 14 componentes do grupo dos alunos participantes do Projeto irão, em forma de treino, fazer uma apresentação – com demonstração de alongamentos e técnicas – aos visitantes. Todos estão convidados.

 

Retrospectiva do Projeto do Aikidô

 

O Projeto do Aikidô nasceu dia 28/06/2008 como trabalho voluntário multidisciplinar em prol das crianças da Escola Municipal São Francisco de Assis, em Natal/RN. O projeto consiste em Laboratórios de Leitura, Reforço de Matemática, Prática de Aikidô e Recreação. A equipe é composta pela Sra. Silvia Regina, Funcionária Pública; Sr. Franklin, Técnico em Segurança do Trabalho; Sr. Guilherme Lemos, Estudante e o Sr. Vinicius Brasil, Advogado. Os encontros são semanais aos sábados, das 08:00h às 11:30h.

 

Além dos Voluntários, Escola tem o apoio financeiro do ABN AMRO Bank/REAL através de seu programa chamado Projeto Escola Brasil – PEB (http://www.institutoescolabrasil.org.br), instituição de grande responsabilidade social que dá todo o suporte material necessário para o desenvolvimento do voluntariado.

 

Atualmente o projeto assiste 30 (trinta) crianças e tem uma lista de espera de mais da metade destes participantes. Os pretendentes a uma vaga só serão admitidos quando houver a melhoria do espaço físico, pois a boa vontade e a disposição dos voluntários é sempre crescente.

 

By IMPRESSÕES – www.impressione.wordpress.com


Oficina de Arte e Educação Ambiental – Comemoração do Dia das Crianças

06/10/2008

No próximo dia 11/10/2008 – o sábado anterior ao dia das crianças – Haverá mais um encontro com a turma das crianças da aula de educação ambiental na Academia Central de Aikidô de Natal. Mas este encontro será diferente, e devido ser véspera do dia das crianças, haverá momentos para discutir assuntos relativos a meio ambiente, reciclagem de material e, também, momentos para brincadeiras (cabo de guerra, múmia, bandeirinha, dentre outras). No final do evento será oferecido um lanche aos presentes. Estão todos convidados, compareçam.

 

Quando: sábado, 11/10/2008, às 15:00h.

Local: Academia Central de Aikidô de Natal – Rua Professor João Ferreira de Melo – Capim Macio – Fundos do CCAB Sul – (84) 3217-9182

Informações: Hellen Paiva: Hellen.paiva@caixa.gov.br

 

By IMPRESSÕES – www.impressione.wordpress.com


Arte e Educação Ambiental – Uma Contribuição para um Desenvolvimento Sustentável

11/09/2008

 Oficina de Arte e Educação Ambiental

 

Você sabia?

– Que 1 tonelada de papel requer o corte de 40 árvores?

– Que 40%  do lixo urbano é composto de papel e papelão?


Algumas vantagens da reciclagem do papel:

– reduz a poluição do ar e dos rios;

– possibilita a inserção social dos catadores de lixo, bem como a geração de emprego e renda.

 

Então vamos juntos praticar atitudes ecologicamente corretas, minimizando com isso, a poluição do meio ambiente e fazendo o uso dos 3 R´s – REDUZIR, RECICLAR E REUTILIZAR.

 

Quando: sábado, 13/09/2008, às 15:00h.

Local: Academia Central de Aikidô de Natal – (84) 3217-9182

Informações: Hellen Paiva: Hellen.paiva@caixa.gov.br

 

By IMPRESSÕES – www.impressione.wordpress.com

 


Responsabilidade Social – Fundação BRADESCO

20/07/2008

O Bradesco atua em diferentes frentes, possibilitando a realização de projetos e eventos em benefício da sociedade e valorização da cidadania. Entre eles, destaca-se o trabalho realizado pela Fundação Bradesco, entidade voltada para a educação de crianças, jovens e adultos, que atende gratuitamente a mais de 110 mil alunos em 40 escolas instaladas, prioritariamente, em regiões de acentuadas carências socioeconômicas, em todos os Estados Brasileiros e no Distrito Federal.

A Educação Básica compreende a Educação Infantil, o Ensino Fundamental (primeira à oitava série) e o Ensino Médio, constituindo mais de 43% do atendimento anual em que são oferecidos gratuitamente, além do ensino, material escolar, uniforme, alimentação e assistência médico-odontológica. A Fundação Bradesco mantém ainda cursos de educação profissional básica, especialização rápida, informática para deficientes visuais e alfabetização de adultos.

O trabalho da entidade já mereceu o reconhecimento de várias instituições nacionais e internacionais, como o da Universidade de Harvard, que considera seu projeto referência mundial no Terceiro Setor.

x

Fundação Bradesco em Natal/RN

A Escola de Educação Básica e Profissional Fundação Bradesco de Natal (RN) foi inaugurada no dia 22 de fevereiro de 1989. A Escola atende a população com Ensino Fundamental, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos. Com excelente infra-estrutura, possui salas equipadas e confortáveis, Biblioteca, Laboratório de Informática, Laboratório de Ciências, Oficina Pedagógica, Consultório Odontológico, Salas Administrativas, Cozinha, Área de Recreação, Quadra Esportiva e Hortas.

x

Colaboração: Fundação Bradesco – www.fb.org.br


%d blogueiros gostam disto: